Prime Time

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Vitae sed pretium ullamcorper facilisis vitae. A eget egestas molestie mattis massa, lacus vel aliquam malesuada.

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Uefa trabalha com Conmebol para criar Liga das Nações conjunta

    Dirigentes querem seleções como Brasil e Argentina em duelos contra europeus em uma competição ampliada

    Taça da Liga das Nações da Uefa
    Taça da Liga das Nações da Uefa Reuters/Uefa (16.dez.2021)

    Dhruv MunjalAnna Koperda Reuters

    Varsóvia

    Ouvir notícia

    A Uefa conversa com a Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) a respeito de uma Liga das Nações conjunta na qual seleções como Brasil e Argentina jogariam com equipes europeias uma competição ampliada, disse a entidade organizadora do futebol europeu à Reuters na sexta-feira (17).

    Uefa e Conmebol se opõem com firmeza aos planos da Fifa de uma Copa do Mundo bienal, tendo assinado nesta semana um memorando de entendimento prorrogado até junho de 2028.

    Campeã europeia, a Itália já irá enfrentar a Argentina, vencedora da Copa América, na chamada “Finalíssima” no dia 1º de junho do ano que vem, em Londres.

    “A Uefa está trabalhando em uma série de projetos com a Conmebol, incluindo uma Liga das Nações conjunta, mas nada está finalizado e ainda não se tomou nenhuma decisão”, disse a entidade em um comunicado enviado à agência Reuters.

    Em uma entrevista ao veículo de notícias polonês Meczyki na quinta-feira (16), o vice-presidente da Uefa, Zbigniew Boniek, disse que dez times sul-americanos serão acrescentados à Liga das Nações a partir de 2024.

    “De 2024 em diante, a Conmebol se unirá à Liga das Nações. Não sabemos ainda em qual fórmula, em qual forma… assinamos um memorando sobre cooperação entre Conmebol e Uefa e de 2024 em diante estes times jogarão na Liga das Nações”, disse.

    Ele acrescentou que seis seleções da Conmebol entrarão na Liga A da Liga das Nações e as outras quatro na Liga B.

    Mais Recentes da CNN