Prime Time

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Vitae sed pretium ullamcorper facilisis vitae. A eget egestas molestie mattis massa, lacus vel aliquam malesuada.

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Barack Obama participará da COP26 nesta segunda-feira

    Ex-presidente dos Estados Unidos vai destacar o progresso do Acordo de Paris, assinado durante seu mandato

    O ex-presidente dos EUA Barack Obama
    O ex-presidente dos EUA Barack Obama Foto: Al Diaz / Miami Herald / Getty Images

    Paul LeBlancda CNN

    Ouvir notícia

    O ex-presidente dos Estados Unidos Barack Obama fará comentários nesta segunda-feira (8) na 26ª Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas (COP26) em Glasgow, em um retorno ao cenário mundial centrado em torno da crise climática.

    O discurso na cúpula internacional do clima colocará a ameaça das mudanças climáticas em um contexto mais amplo, disse a porta-voz de Obama, Hannah Hankins, em um comunicado.

    O ex-presidente irá “expor o importante progresso feito nos cinco anos desde que o acordo de Paris entrou em vigor, destacando a liderança dos jovens em todo o mundo e apelando para uma ação mais robusta por parte de todos nós – governos , o setor privado, a filantropia e a sociedade civil”.

    A presença de Obama na COP26 foi sugerida por ativistas do clima. E isso tomou forma nas conversas com John Kerry, seu ex-secretário de Estado e enviado presidencial especial do presidente Joe Biden para o clima, informaram fontes à CNN. A Casa Branca estava ansiosa pela ajuda, disseram as autoridades.

    O ex-presidente defendeu a abordagem de questões ambientais enquanto estava no cargo, mas Donald Trump – negacionista da crise climática – tentou remover muitas das ações políticas instaladas pelo governo Obama para limitar as emissões de gases de efeito estufa.

    Desde que assumiu o cargo, Biden tem revertido muitas dessas decisões do governo Trump e fez promessas ambiciosas para enfrentar a crise climática.

    A cúpula do clima está ocorrendo cinco anos depois que o acordo de Paris entrou em vigor. Em 2015, após a COP21, mais de 190 países assinaram o acordo na época para limitar o aumento das temperaturas globais abaixo de 2ºC acima dos níveis pré-industriais, preferencialmente para 1,5ºC.

    Biden voltou a entrar no acordo de Paris depois que o ex-Trump tirou os Estados Unidos do mesmo e pediu desculpas a seus companheiros líderes mundiais em comentários no primeiro dia da COP26.

    “Acho que não deveria me desculpar, mas peço desculpas pelo fato de que os Estados Unidos – o último governo – retiraram-se do Acordo de Paris”, disse o presidente na semana passada em Glasgow.

    (Texto traduzido. Clique aqui para ler o original em inglês)

    Mais Recentes da CNN