Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Surto da variante Delta na China atinge Wuhan; país impõe restrições de viagem

    Disseminação estimulou restrições às viagens domésticas, com todos os serviços intermunicipais de ônibus, táxis e carros online suspensos em áreas de alto risco

    Testes em massa são realizados em todo o país; na foto, cidadãos de Yantai, na província de Shandong, passam pelo procedimento
    Testes em massa são realizados em todo o país; na foto, cidadãos de Yantai, na província de Shandong, passam pelo procedimento Foto: Feature China/Barcroft Media via Getty Images

    Nectar Gan, da CNN, em Hong Kong

    Ouvir notícia

    O surto descontrolado da variante Delta na China atingiu Wuhan, o epicentro original da pandemia. Autoridades solicitam testes de coronavírus em toda a cidade e lutam para conter as primeiras infecções locais relatadas na cidade em mais de um ano.

    A China está enfrentando seu pior surto em meses, com mais de 300 casos detectados em cerca de duas dezenas de cidades em todo o país. O país agora tem 144 áreas de médio e alto risco, a maior quantidade desde o surto inicial no início de 2020, disse a Comissão Nacional de Saúde na quarta-feira (4).

    A velocidade e a escala da disseminação estimularam restrições em massa às viagens domésticas, com todos os serviços intermunicipais de ônibus, táxis e carros online suspensos em áreas de médio e alto risco.

    As autoridades de imigração chinesas também prometeram “restringir estritamente as viagens transfronteiriças não urgentes e desnecessárias”, incluindo uma diminuição da emissão de passaportes para os cidadãos chineses.

    Na segunda-feira (2), sete infecções foram relatadas entre trabalhadores migrantes em Wuhan, a cidade central da China onde a Covid-19 foi detectada pela primeira vez em dezembro de 2019.

    Na quarta-feira, um total de 20 infecções locais foram relatadas, incluindo 8 casos assintomáticos, de acordo com a comissão provincial de saúde de Hubei.

    A cidade de 11 milhões de habitantes foi colocada sob o primeiro e indiscutivelmente mais estrito bloqueio contra o coronavírus do mundo em janeiro de 2020, durante o auge de seu devastador surto inicial. O bloqueio paralisante de 76 dias teve um enorme custo pessoal para os residentes, mas acabou conseguindo conter o vírus. Wuhan não relatou nenhum caso transmitido localmente desde maio do ano passado.

    Apesar do manuseio incorreto inicial, o governo chinês proclamou Wuhan como uma história de sucesso em sua luta contra a pandemia. Em agosto de 2020, enquanto grande parte do mundo lutava com a Covid-19, Wuhan ganhou manchetes internacionais ao realizar um festival de música eletrônica em um parque aquático ao ar livre, com milhares de pessoas festejando sem nenhuma máscara ou medida de distanciamento social à vista.

    Mas agora, a variante Delta altamente contagiosa colocou as autoridades em alerta máximo.

    Na terça-feira (3), Wuhan fez testes de coronavírus em toda a cidade, com os residentes formando longas filas nos locais determinados da comunidade até tarde da noite. A cidade também suspendeu 17 linhas de ônibus e fechou várias estações de metrô.

    Alguns temem o retorno de um bloqueio rigoroso. Vídeos e fotos compartilhados nas redes sociais na segunda-feira mostram prateleiras vazias e longas filas nos supermercados, enquanto os residentes corriam para estocar suprimentos diários.

    “Ver as pessoas de Wuhan entrando em pânico ao comprar em supermercados me deixa triste. Só quem já passou por isso entende o quão terrível é, (nós) tememos um retorno aos dias em que ficávamos em casa e não sabíamos sobre a próxima refeição”, disse um residente de Wuhan no site de microblog chinês Weibo.

    Cidadãos de Wuhan esvaziam prateleiras de mercados
    Cidadãos de Wuhan esvaziam prateleiras de mercados, temendo um novo bloqueio de circulação para conter a Covid-19
    Foto: Feature China/Barcroft Media via Getty Images – 2 ago. 2021

    Durante o bloqueio inicial de Wuhan, milhões de residentes foram obrigados a permanecer em suas casas, contando com funcionários e voluntários para as necessidades diárias – muitas vezes a um preço mais alto.

    Na quarta-feira, nenhum bloqueio em toda a cidade foi anunciado para Wuhan, embora complexos residenciais ligados a casos detectados tenham sido colocados sob bloqueio específico.

    Surto em espiral

    O surto em andamento começou em Nanjing, província de Jiangsu, no leste da China, onde nove funcionários da limpeza de um aeroporto foram infectados em 20 de julho e identificados durante um teste de rotina.

    As autoridades chinesas associaram o contágio a um vôo vindo da Rússia, que chegou ao Aeroporto Internacional de Nanjing Lukou em 10 de julho.

    “Acredita-se que os funcionários não seguiram estritamente as diretrizes anti-epidêmicas após a limpeza do voo CA910 e contraíram o vírus como resultado. A infecção se espalhou para outros colegas, que também são responsáveis pela limpeza e transporte de lixo em voos internacionais e domésticos “, relatou a agência de notícias estatal Xinhua.

    Desde então, o surto se espalhou por pelo menos 26 cidades, incluindo o ponto turístico Zhangjiajie e a capital Pequim.

    Em apenas duas semanas, a China notificou mais de 480 casos confirmados transmitidos localmente, de acordo com uma contagem da CNN dos relatórios diários da Comissão Nacional de Saúde.

    Nem todas as infecções até agora foram diretamente relacionadas à ocorrência em Nanjing. Na segunda-feira, 63 infecções locais, incluindo 50 casos assintomáticos, foram relatados em Zhengzhou, capital da província de Henan, que foi devastada por enchentes mortais no mês passado.

    A maioria dos casos está ligada a um surto em um hospital, onde zeladores, equipe médica e pacientes estão entre os infectados. A cidade fez testes em toda a cidade no domingo.

    A variante Delta, de rápida disseminação, representou um grande desafio para a estratégia zero Covid de restrições na China, que se baseia em testes em massa, bloqueios direcionados, rastreamento de contatos extensivo e medidas de quarentena rígidas para suprimir rapidamente surtos locais.

    Testes em massa da Covid-19 em Wuhan
    Testes em massa da Covid-19 em Wuhan, na província de Hubei, local de origem do SARS-CoV-2
    Foto: Feature China/Barcroft Media via Getty Images – 3 ago. 2021

    A China respondeu dobrando sua abordagem de contenção, adotando medidas rigorosas em uma escala não vista há meses. Várias cidades foram colocadas sob bloqueio efetivo, ordenando aos residentes que permaneçam em suas casas.

    O país também impôs enormes restrições a viagens em todo o país. Todas as autoridades provinciais instaram os cidadãos a não viajar para áreas de médio e alto risco ou deixar as províncias onde vivem, a menos que seja estritamente necessário.

    O governo chinês está particularmente preocupado com a disseminação do vírus para Pequim, que deve sediar as Olimpíadas de Inverno em fevereiro do próximo ano. A cidade relatou um punhado de casos desde a semana passada – o primeiro ressurgimento do coronavírus em meses.

    As autoridades de Pequim proibiram a entrada de pessoas de áreas de médio ou alto risco, suspendendo voos, trens e ônibus de locais atingidos pela Covid. Desde terça-feira, 23 estações ferroviárias suspenderam a venda de passagens de trem com destino à capital, informou a Xinhua.

    As autoridades chinesas também estão aumentando as restrições às viagens internacionais. A China ainda está praticamente isolada do mundo exterior e aqueles que têm permissão para entrar estão sujeitos a uma longa quarentena nos hotéis.

    Em uma entrevista coletiva na quarta-feira, um funcionário da Administração Nacional de Imigração disse que as autoridades parariam de emitir documentos de viagem, como passaportes, para cidadãos chineses que desejam deixar a China por motivos “não urgentes e desnecessários”.

    Indivíduos que precisam viajar para o exterior para fins de estudo, trabalho ou negócios ainda receberão documentos de viagem após a aprovação, acrescentou.

    Salões de Mahjong

    A China notificou 71 casos confirmados transmitidos localmente na quarta-feira, com quase metade deles vindo da província de Jiangsu, de acordo com a Comissão Nacional de Saúde. A cidade de Yangzhou, vizinha de Nanjing, tornou-se o ponto de acesso mais recente, relatando 32 infecções locais.

    As autoridades atribuíram o surto em Yangzhou a uma residente de Nanjing de 70 anos, que viajou para Yangzhou em 21 de julho, apesar de sua residência em Nanjing ter sido bloqueada, de acordo com um comunicado da polícia de Yangzhou.

    A idosa, que ficou em Yangzhou com sua irmã, não informou às autoridades locais sobre seu histórico de viagens conforme exigido e visitou repetidamente lugares lotados, incluindo restaurantes, mercados e salões de mahjong, disse o comunicado.

    A mulher procurou tratamento em um hospital no dia 27 de julho depois que começou a tossir e desenvolveu febre, e o teste foi positivo para coronavírus um dia depois. Ela foi detida criminalmente pela polícia e está sob investigação por suspeita de obstrução à prevenção e controle de doenças infecciosas, segundo o comunicado.

    Os salões de Mahjong, populares entre os idosos, desempenharam um papel central na disseminação de Covid em Yangzhou, de acordo com as autoridades. Na quarta-feira, autoridades de Jiangsu disseram em uma entrevista coletiva que 64% dos 94 casos confirmados de Yangzhou até terça-feira estavam ligados aos salões de Mahjong, e 68% dos casos confirmados tinham mais de 60 anos.

    Tanto Yangzhou quanto Nanjing realizaram várias rodadas de testes em toda a cidade e suspenderam todos os voos domésticos, ônibus de longa distância, táxis e serviços online de recebimento de carros.

    (Texto traduzido. Leia o original em inglês.)

    Mais Recentes da CNN